sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Poemas de um conterrâneo

Tiburtino Castelo Sá Gomes de Sá

Minha vida!... Deus conduz!

A presença do Senhor, me dar
Tudo que nesta vida passa
Fé em Deus é acreditar
Sem ele a vida não tem graça.

Viver - uma tormenta que avança
Graças às ondas do mar
Na ida, comigo a esperança
Acompanho Jesus ao voltar!

Em nenhum momento olho para trás
Faço o sinal da cruz
Olhar pra frente necessário se faz...
Para saudar a Jesus.

Sou o poeta que um dia
Por pouco não padece...
Rezei uma Ave-Maria
E no entardecer... Uma prece.

Ouvi badaladas de sino
Anunciando a Ave-Maria,
no instante em que um peregrino
A Hóstia Sagrada recebia.

Pelos caminhos indicados
Graças a Divina luz,
Sigo as trilhas dos iluminados
Minha vida... Deus conduz.