terça-feira, 7 de abril de 2015

Falta gente pensante nesta cidade.

Meu bicho de estimação KKK
Por falta de tempo e falta de pessoa capacitada a enfrentar os tubarões desta cidade, esse famigerado blog deixa de postar suas matérias relevante para o município, motivo esse meu deslocamento definitivo de moradia a este torrão após 32 anos retorno a minha cidade natal "SOUSA, TERRA DOS DINOSSAUROS, CIDADE SORRISO". 
Sendo assim ficando a desejar com relação a uma SOCIEDADE ALTERNATIVA, já que de Alternativa não temos, vai sempre de mau a pior, muito bom obrigado para os babões e mamões das velhas tetas.
E uma bosta para quem ainda tem uma mente privilegiada e conhecedor das obrigações eminente aos cargos inerente na administração oferecida ao povo desta pacata e jovem cidade.
Sendo assim ficarei só postando minhas besteira, sem nem um teor relevante que venha a melhorar o andamento e as mazelas ai encontrada.


É brincadeira! vamos engolir isso?

O absurdo da unificação das eleições

Toma corpo Brasil a fora a ideia absurda da unificação das eleições. E, o que é pior, em um momento como esse, no qual – repleto de dificuldades de toda ordem – o Brasil enfrenta um tempo de escuridão política, marcado pela ausência de mentes lastreadas ética e moralmente para a discussão dos temas que envolvem a vida nacional. É exatamente numa pedreira dessas que se observa prosperar um projeto de consequências tão desastrosas.

Do ponto de vista da argumentação, pelo menos até o presente momento, nenhuma das cabeças que defendem as tais eleições unificadas conseguiu ultrapassar o terreno da mediocridade retórica e da pobreza política.

Ora, analise-se uma das colocação que fazem os tais: de que as eleições de dois em dois anos estão se tornando caras demais para o Brasil. Pelas barbas do profeta!!!!!!, como diria aquele narrador esportivo. E, por acaso, o processo eleitoral é o culpado disso?

O culpado, além dos homens de mente corrompida, e sem estatura moral para se fazer presente à qualquer tipo de disputa, é o sistema eleitoral corruptor e caro em si mesmo.

Culpada é a Justiça Eleitoral que demora até dez anos para julgar as questões que emergem da disputa eleitoral – um atraso que só incentiva a transgressão e a impunidade.

Além do mais, ao invés de se celebrar um processo democrático que se renova e se fortalece a cada dois anos, joga-se no colo do processo eleitoral o custo das eleições no Brasil. Que, além de caras, reconheçamos, carregam penduricalhos esdrúxulos, como as coligações partidárias e o famigerado coeficiente eleitoral.

Por acaso, esses tais, que defendem a unificação, já pararam para analisar o verdadeiro caldeirão de safadezas e malfeitos que se apoderou do processo político brasileiro por conta das coligações partidárias? É quase certo, certíssimo, não chegaram a tanto.

Outro perigo que ronda as eleições é a mania de se promover a extinção pura e simples das instituições, ao invés de se condenar os malfeitores que nelas se instalaram.

Lembram-se da Sudene?
Envolvida na onda da corrupção, viu-se tragada pelo torvelinho da extinção porque, aos olhos dos dirigentes, era mais fácil passar-lhe a régua do que condenar quem lhe raspara o cofre. Vê-se, assim, que o negócio é matar o animal ao invés de curar-lhe a doença.

E a história de que há eleições demais?
No parlamentarismo, eleições podem ocorrer de seis em seis meses, de ano em ano. Basta que o Parlamento aprove um voto de desconfiança que o governo cai e novas eleições são convocadas. Na Alemanha, no Japão, paises de democracia sedimentada, de eleições parlamentares de quatro em quatro anos, já houve casos de eleições sucessivas em curtos períodos pela busca de soluções governamentais – à luz da democracia.

Enquanto isso, no Brasil, onde a democracia tem pouco mais de três décadas, debiloides de plantão diagnosticam que o país tem eleições em demasia. É de lascar! Na verdade, o que o Brasil precisa é de uma análise séria, profunda, em seu sistema eleitoral que desague numa reforma política com início, meio e fim.

E com uma Justiça Eleitoral ágil, um Ministério Público ainda mais atuante – e uma legislação que puna com rigor quem incorrer em malfeitos. Porém, caso venha a unificação (Deus nos livre!), como ficará o debate numa disputa na qual o eleitor terá de optar de vereador a presidente da república? E que espaço sobrará para a discussão de temas municipais diante da complexidade das questões estaduais e federais?

Jogar-se o debate de problemas municipais para as calendas é democrático? Em busca de economia, extirpa-se o ente municipal do debate?

Pobreza mental, cara pálida. Mental.
GD
AUTO_newtonsilva
AUTO_sid
cabaços

quarta-feira, 25 de março de 2015

A fuleiragem grande - mais uma manipulação à sociedade.

Contran adia por mais três meses o uso de extintor veicular ABC

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) atendeu ao pedido do ministro das Cidades, Gilberto Kassab, apresentado no início do mês de março ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), para prorrogar por mais 90 dias a exigência dos novos extintores veiculares ABC.

Essa decisão foi tomada durante a reunião do Conselho nesta quarta-feira (25). Com a publicação no Diário Oficial da resolução 521/2015, a nova data será 1° de julho de 2015. O motivo para essa prorrogação é a falta do equipamento de segurança para venda no mercado. O Ministro Kassab e o Denatran querem garantir que os motoristas não sejam prejudicados diante da dificuldade de adquirir o equipamento de segurança.

Até tu

grp
AGRIPINO

terça-feira, 24 de março de 2015

Em seminário no Senado, Marco Aurélio Mello defende 'banho de ética' para homens públicos

São Rafael amanhece chovendo

Confira o volume de chuvas deste final de semana na Mesorregião Oeste Potiguar:


Assu(Emater/st. Casa Forte) - 104,3mm
Ipanguacu(Emater) - 103,5mm
Itaja(Emater) - 87,0mm
Rafael Fernandes(Emater) - 83,1mm
Serrinha Dos Pintos(Prefeitura) - 83,0
Mossoro(Prefeitura) - 79,3mm
Olho D'agua Dos Borges(Particular) - 76,0mm
Alto Do Rodrigues(Emater) - 74,0mm
Encanto(Prefeitura) - 73,0mm
Campo Grande(Particular) - 71,3mm
Messias Targino(Prefeitura) - 66,0mm
Pendencias(Emater) - 63,5mm
Frutuoso Gomes(Emater) - 60,0mm
Coronel Joao Pessoa(Emater) - 59,0mm
Major Sales(Prefeitura) - 59,0mm
Venha Ver(Emater) - 59,0mm
Sao Rafael(Emater) - 57,6mm
Lucrecia(Emater) - 56,9mm
Jose Da Penha(Emater) - 50,0mm
Pau Dos Ferros(Particular) - 49,0mm
Sao Francisco Do Oeste(Prefeitura) - 49,0mm
Alto Do Rodrigues(Diba/baixo Assu) - 48,0mm
Rafael Godeiro(Emater) - 46,2mm
Dr. Severiano(Emater) - 44,8mm
Barauna(Emater) - 44,6mm
Luis Gomes(Delegacia) - 40,0mm
Umarizal(Fazenda Camponesa(partic)) - 40,0mm
Caraubas(Particular) - 39,5mm
Tenente Ananias(Emater-st Mororo) - 38,0mm
Porto Do Mangue(Prefeitura) - 37,0mm
Jucurutu(Emater) - 35,0mm
Tibau(Prefeitura) - 34,8mm
Sao Miguel(Emater) - 34,2mm
Carnaubais(Emater) - 32,0mm
Alexandria(Emater) - 30,0mm
Riacho Da Cruz(Emater) - 29,2mm
Parana(Emater) - 29,0mm
Vicosa(Prefeitura) - 23,0mm
Tabuleiro Grande(Prefeitura) - 22,0mm
Piloes(Prefeitura) - 21,5mm
Severiano Melo(Prefeitura) - 19,0mm
Rodolfo Fernandes(Prefeitura) - 16,0mm
Itau(Particular) - 12,0mm

Tá demais

segunda-feira, 23 de março de 2015

Pediu e DEUS atendeu

mario

Senadores com compromisso a nação

Obrigada, Cristovam Buarque (PDT-DF), Reguffe (PDT-DF), João Capiberibe (PSB-AP) e José Medeiros (PPS-MT), Ana Amélia (PP-RS)Lasier Martins (PDT-RS), Telmário Mota (PDT-RR), Waldemir Moka (PMDB-MS) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP).

Ainda faltou a palmatória

QUE PAÍS É ESSE!!!!

Que se faz um político, igual a receita de bolo:
- 1 boa dose de falta de caráter
- 2 doses de ganância
- 1 dose de mentira
- Umas contas fantasma, né mesmo fulano KKK
- muita grana de Empreiteiras
- meia pitada de merda
Nota: Não exagerar na merda, senão pode sai um Governador, um Prefeito, até um Presidente.Vereador desanda dá uma caganeira danada KKKK

Conselho Nacional de Justiça (CNJ)


Estrangeirismo é o uso de palavras de outros idiomas na língua portuguesa. As palavras estrangeiras geralmente passam por um processo de aportuguesamento fonológico e gráfico comandado pela Academia Brasileira de Letras, órgão responsável pelo Vocabulário Ortográfico de Língua Portuguesa; é ela que decide como ficam as palavras depois de aportuguesadas. Confira nossa dica de português de hoje!

Muito bom!