sábado, 8 de novembro de 2014

Imundada

Por Lena Lopez

Como pode em diminuto momento
O prazer a escorrer pelas pernas
Como cachoeira a descer
E inundar o meu íntimo
Fico envergonhada
Por ficar assim inundada
Mas isso é coisa que passa
Pois sei que te deleitas
Sorvendo como beija-flor
O néctar do meu desejo
Como pode apenas em um instante
Só por pensar em você
E em tudo o que você faz
Meu corpo se incendeia
Torna-se um vulcão
Expelindo lava escaldante
Que me queima por dentro
Á espera que você apague
Meu fogo e minha brasa
E leve-me ao delírio do gozo!