quarta-feira, 30 de outubro de 2013

SEMELHANÇAS, OU MERAS COINCIDÊNCIAS?

– Reynaldo-BH

COINCIDÊNCIAS:

1 – Censura

Ditadura militar: controle sobre a imprensa, com um comitê designado pelos militares (os censores) que liberava o que era pró-”milagre” ou se abstinha de críticas e censurava notícias em contrário.

Lulopetismo: obsessão pelo controle social da mídia em que os novos censores seriam escolhidos pelo Estado (como na ditadura) com poderes para interferir em conteúdos.

2 – Imprensa paga

Ditadura militar: Amaral Neto e O Cruzeiro são exemplos.

Lulopetismo: blogs oficiais e algumas revistas/jornalistas/colunistas que se dizem progressistas. Pagos do mesmo modo.

3 – Bipartidarismo

Ditadura militar: dois partidos, a Arena e o MDB, e as “sublegendas” que abrigavam as correntes dentro de cada um deles.

Lulopetismo: base alugada que se reduz a uma posição de “contra x a favor”.

4 – Judiciário

Ditadura militar: intimidação e escolha de dóceis ministros do Supremo, de modo a não contrariar a ditadura.

Lulopetismo: Sem comentários.

5 – Legislativo

Ditadura militar: domínio total dobre o Poder Legislativo.

Lulopetismo: idem, com uso de emendas e acordos regionais. Tentativa de ir mais fundo, com o mensalão.

6 – Obras faraônicas

Ditadura militar: Transamazônica, hidrelétrica de Itaipu e Ponte Rio-Niteroi, entre outras.

Lulopetismo: Ferrovia Norte-Sul, transposição do Rio São Francisco.

(As propagandas são AS MESMAS! O Brasil que nunca houve antes!)

7 – Obras de papel

Ditadura militar: Angra 3, 4, etc.

Lulopetismo: Trem-bala


Obras faraônicas, nem sempre concluídas, são marcas registradas dos dois períodos: na ditadura militar, a Transamazônica e a Angra III (fotos da coluna à esquerda), e no lulopetismo a transposição do Rio São Francisco e o trem-bala

8 – Slogans

Ditadura militar: “Ninguém segura este país.”

Lulopetismo: “Nunca antes neste país.”

9 – Aparelhamento

Ditadura militar: em cada ministério, um exército de militares da reserva, sobretudo nas extintas áreas de informação de cada um deles.

Lulopetismo: em cada ministério, um exército de sindicalistas.

10 – Demonização

Ditadura militar: “Brasil! Ame-o ou deixe-o!”

Lulopetismo: todos os adversários são inimigos. FHC é o culpado de tudo, até da seca no Nordeste.

11 – Estatais

Ditadura militar: em nome de um nacionalismo caolho, criaram-se dezenas de estatais.

Lulopetismo: quase sem comentários. Para o pré-sal, não bastava a Petrobras: criou-se também a PPSA.

12 – Economia

Ditadura militar: o mundo estava errado e o Brasil certo.

Lulopetismo: idem, ibidem.

13 – Corrupção

Ditadura militar: nunca houve uma condenação de militares corruptos (não existiu nenhum?)

Lulopetismo: são todos inocentes mesmo com provas em contrário.

14 – Divisão de poderes

Ditadura militar: entre os falcões e os moderados das Forças Armadas, ficando em segundo plano a capacitação do indicado ao cargo.

Lulopetismo: entre os partidos da base e correntes do PT, ficando em segundo plano a capacitaão do indicado ao cargo.

15 – Medo

Ditadura militar: dos comunistas.

Lulopetismo: dos direitistas raivosos – denominação reservada à maioria dos críticos e adversários do governo.


Tanto ontem como hoje, a escolha de ministros para o STF era feita de modo a não contrariar o governo

16 – Inimigos preferenciais

Ditadura militar: os democratas.

Lulopetismo: os democratas.

17 – Previsão temporal

Ditadura militar: eterna.

Lulopetismo: a eternidade.

18 – Eleições

Ditadura militar: valia tudo. O importante era ter os mais de 70% (em média) que conseguiam nas urnas.

Lulopetismo: Gilberto Carvalho, Dilma e Lula já responderam: “o bicho vai pegar” e a eles vão “fazer o diabo” nas eleições.

19 – Segredos

Ditadura militar: tudo na economia era secreto. Nada revelado

Lulopetismo: perguntem ao BNDES. A partir de 2027, por favor.


Como no tempo da ditarura militar, atualmente a política econômica é tratada como segredo de estado 

20 – Política externa

Ditadura militar: apoiando e ajudando as ditaduras do Chile, Uruguai, Paraguai e outras na América Latina.

Lulopetismo: apoiando e ajudando as ditaduras de Cuba, Venezuela, Angola, Mianmar, Líbia de Kadhafi, Coreia do Norte e qualquer outra que se enquadra na diplomacia ideológica (já abandonada até pela China).

* * *

CONCLUSÃO

Lula e Dilma são como os generais de ontem. (Óbvio que não me refiro à tortura e assassinatos. Mas somente divergir nisto é suficiente?). Um passando o poder ao outro. Legitimados por eleições, como era a Arena. Usando de TODOS os meios para se manter no poder. Mentindo. Acusando. Demonizando. Manipulando. Intimidando.

Se antes coronéis aposentados mandavam em estatais e gritavam “sentido!”, hoje sindicalistas incultos, despreparados, ignorantes e desonestos estão nos mesmos cargos e gritam “presente!”.


Se antes o Brasil se alinhava a um “americanismo” de extrema-direita com as ditaduras do Cone Sul, hoje estamos alinhados com o bolivarianismo (seja o que isto for) de uma América Latina que parece condenada a ser um poço de atraso.

Se antes tínhamos uma ditadura, hoje, se os democradas não reagirem, caminhamos para outra.

Disfarçada. Aprendeu com a outra. Mas tão perniciosa quanto.