segunda-feira, 8 de abril de 2013

PAISAGEM DE SOLIDÃO E SAUDADES



Foto: Dj Bruno Jales


Foto: Dj Bruno Jales


Foto: Dj Bruno Jales

O TOMBO DA TORRE
DESOLADO CHEGO À PRAINHA
BUSCANDO ALGO ENCONTRAR
MAS ME PERCO NA TERNURA DO OLHAR
PELA TRISTEZA QUE A PRIORI SE AVIZINHA
NUNCA MAIS VOU ENCONTRR À TARDINHA
COMO SEMPRE FAZIA AO CHEGAR
SE ESTOU PERDIDO NESSE IMENSO DESOLAR
ACREDITO QUE A CULPA NÃO FOI MINHA
I
FORTES LEMBRANÇAS DESSA HISTÓRIA SE AVALIA
DE SERES PÚBLICOS QUE SE DIZIAM SÉRIOS
MAS NINGUÉM IMAGINA SEUS MISTÉRIOS
EM DEFENDER ALGO DE TUDO QUE ALI HAVIA
E NO MEIO DE TANTA MELANCOLIA
ALGUÉM OLHA, REFLETE E DIZ:POR QUÊ?
E O QUE HOJE EU POSSO DIZER A VOCÊ
DE QUEM JÁ FOI VENDEDOR DE FANTASIA?
II
SEIS DE JANEIRO DE 2011
SOMENTE HOJE CONSEGUI CHEGAR AQUI
OUTRAS VEZES TENTEI NÃO CONSEGUI
POIS ERA OURO E AO CHEGAR NEM BRONZE TINHA
SEM AJUDA SILENCIOSAMENTE VAI SOZINHA
COM SUA HISTÓRIA E A MEMÓRIA AOS SEUS PÉS
A TRISTEZA TORNOU-SE NO QUE ME LEMBRO
POIS FOI DE 15 PARA 16 DE DEZEMBRO
QUE A TORRE RUIU EM 2010
III
NÃO É LAMENTAÇÃO DE MUROS RELIGIOSOS
MAS MUITA GENTE TEM CRENÇA POR VAIDADES
EM QUE INVENTA MOSTRAS DE FELICIDADES
DE FALSETES E MUITOS OLHOS CHOROSOS
COMO HISTORIADOR ME ENREDO NESSA HISTÓRIA
MUITOS DEVOTOS DE CONCEIÇÃO NÃO TEM MEMÓRIA
INSENSATOS DE MOMENTOS DESASTROSOS
IV
E ASSIM REGISTRO MEU PROTESTO
SILENCIOSAMENTE COMO A TORRE QUE CAIU
FELISMENTE OU INFELISMENTE NINGUÉM VIU
A TRISTEZA DOS ÚLTIMOS RESTOS MORTAIS
OUTRA, COM A MESMA AFEIÇÃO NÃO SE OLHA MAIS
POIS NA VERDADE A VERDADEIRA SE RUIU
QUANDO NAS ÁGUAS A TORRE SUBMERGIU
JOGOU POR TERRA A MENTIRA CAIFAZ
V
FINDO ESTA AGONIA DESOLADO
MAS POR SÉCULOS SERÁ LEMBRADO ESTE MÊS
QUEM VIU A TORRE PELA SUA ÚLTIMA VEZ
DA HISTÓRIA ÉS UM PRIVILEGIADO
PELA MEMÓRIA DE UM POVO ENVERGONHADO
SINTETIZO ESTE FIM SEM ALTIVEZ
NOSSOS AGENTES PÚBLICOS DE DÉCADAS
SINTAM-SE AGRACIADOS
POR TANTOS ASFALTOS ESBURACADOS
PELA DESTRUIÇÃO DA PRANHA
PELA DERROCADA DA TORRE
NADA DISTO VOS COMOVES?
POIS TUDO ISSO FOI OBRA DE VOCÊS!


Texto de autoria do Professor, Historiador e Poeta: DJALMIR ARCANJO DA COSTA
POEMA ESCRITO NO DIA 06.01.2011, POR VOLTA DAS 13 HORAS, EM FRENTE AO VAZIO DA TORRE, ÀS MARGENS DA BARRAGEM ARMANDO RIBEIRO.
Eronilson Alex