terça-feira, 23 de abril de 2013

A CNTE - CONVOCA



A CNTE convoca todos os trabalhadores da educação e a sociedade para a Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública, que será realizada entre 23 e 25 de abril. Além da greve nacional, o foco é a valorização dos profissionais em educação. "Esta semana tradicionalmente se destina ao debate das questões educacionais e terá como prioridade o debate sindical da mobilização, mais um ano que estaremos lutando para que o piso salarial nacional seja efetivamente aplicado no nosso país com uma greve nacional nos dias 23, 24 e 25 de abril", explica o presidente da CNTE, Roberto Leão.

No dia 24 de abril será realizado um ato com representação dos estados na Câmara dos Deputados, em Brasília e também atos locais nas sedes de governo estaduais e municipais pelo país.

Em alusão a Semana da Educação, ocorre em todo país uma greve com duração de três dias. O movimento é organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e conta com as participações de representantes sindicais de todos os estados brasileiros. No Rio Grande do Norte, as ações são coordenadas pelo Sinte. “Além da nossa pauta nacional, temos a pauta local”, diz o coordenador do sindicato Rômulo Arnauld, que reforça que a paralisação inclui as escolas municipais e estaduais.

Além da greve nacional, o foco é a valorização dos profissionais em educação. "Esta semana tradicionalmente se destina ao debate das questões educacionais e terá como prioridade o debate sindical da mobilização, mais um ano que estaremos lutando para que o piso salarial nacional seja efetivamente aplicado no nosso país com uma greve nacional nos dias 23, 24 e 25 de abril", explica em nota o presidente da CNTE, Roberto Leão. No dia 24 de abril será realizado um ato com representação dos estados na Câmara dos Deputados, em Brasília e também atos locais nas sedes de governo estaduais e municipais pelo país.

Segundo Rômulo, essa é a 14ª edição promovida pela CNTE. “O debate envolve piso salarial, o plano de carreira, a redução da jornada de trabalho, a aprovação do Plano Nacional de Educação e a destinação de 100% dos recursos do pré-sal para o setor”, diz.

A programação em Mossoró inicia nesta terça (23) às 07h30 no Sesi com uma assembleia geral. Na quarta (24), ocorre a tribuna popular, a partir das 09h30, com atos na Câmara Municipal e a discussão de temas voltados às categorias. Na quinta (25), os profissionais do setor discutem o Plano Nacional da Educação, no Sesi, a partir das 14h.

O coordenador do Sinte diz que o momento é propício para as discussões, principalmente devido os últimos embates da categoria com o Governo do Estado, em relação a redução da carga horária e pagamento de horas extras aos professores. “A justiça deu ganho de causa em uma ação sobre a redução da jornada de trabalho. Foi determinado, em caráter liminar, que o estado deve pagar as horas extras trabalhadas, pois 1/3 da carga horária deve ser destinada para atividades extraclasse”, defende Rômulo que menciona ainda a revisão do plano de carreira do magistério, que, segundo ele, “ainda está na Assembleia Legislativa e não avançou.”, finaliza.

Fonte: Jornal de Fato