segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Eu acho é pouco > Dalinha Catunda


EU MIJEI NA REDE

Amigo vou lhe contar
Vergonha não tenho não,
Cresci mijando na rede
Deixando a marca no chão,
E quando moça fiquei
De mijar eu não deixei
E tome surra e carão!

Mijei na rede e na cama
Cheguei a estragar colchão
Na casa de um namorado
Eu repeti a infração
Mas por não ser acanhada
Eu fiz de cada mijada
Foi pilhéria e gozação.

Depois que saí no mundo
E virei mulher valente
Só mijo nas horas certas
Pois eu tenho expediente
Mijar fora do penico
Amigo lhe comunico:
Não mijo! Fique ciente!