domingo, 19 de janeiro de 2014

Um acordão e o destino do PT

O PT tem coragem de reagir a um iminente acordão que se desenha, envolvendo PMDB, PSB, PV, PROS, PR e até uma banda do DEM?

Essa pergunta começa a ganhar corpo, de modo tonitruante, para ser respondida a qualquer momento ou mais adiante.

O partido já sabe, por exemplo, que o PMDB – articulador dessa maçaroca interpartidária – tem preferência por Wilma de Faria (PSB) na chapa majoritária, como candidata ao Senado.

Isso significa o expurgo da deputada Fátima Bezerra (PT) dessa aliança, haja vista que seu projeto é o mesmo da ex-governadora.
Fonte: Carlos Santos