quarta-feira, 18 de março de 2015

LADRÃO DE FEIRA. Ricardo Sobral

LADRÃO DE FEIRA
Prepostos do desgoverno Dilmão estão agindo como ladrão de feira: roubam e saem gritando pega ladrão.
Ora, não é segredo que o maior beneficiário do assalto aos cofres públicos e da quebra da maior empresa brasileira é o grupo que ocupa o poder, que usou os recursos subtraídos para financiar um projeto espúreo de poder.
No dia 13 - uma sexta feira de agosto - meia dúzia de gatos pingados sairam às ruas " em defesa da Petrobrás", empresa saquiada por eles próprios, e do desgoverno que infelicita a nação.
Hoje, diante de uma Avenida Paulista com um milhão de brasileiros se manifestando democraticamente, e de manifestações nas mesmas proporções nas capitais e principais cidades brasileiras, o ministro Migué Russeto, também conhecido por ministro Rosinha, falseando a verdade, arte em que eles são especialistas, declarou a mando de sua chefa, que os protestos foram realizados por eleitores que não votaram na reeleição de 2014, e que a economia ia muito bem, obrigado.
Depois, a rede Globo procrastinou a abertura de seu principal programa dominical para dar tempo de publicar entrevistas sob medidas de ex juizes da Suprema Corte, para desacreditar o impedimento da Presidente pedido pelo povo de norte a sul do País.
Ives Gandra, jurista acatado, já demonstrou que sobejam razões para ser decretado o impedimento desejado hoje pela maioria do povo brasileiro. O impedimento só tem de jurídico a processualística a ser seguida. No mais, é um processo de natureza política, que de nada tem de jurídico.
A quadrilha que há doze anos chafurda na lama da corrupção não vai largar o osso facilmente, até mesmo pela covardia de uma oposição partidária criminosamente omissa e de cauda presa.
A esperança reside na ação patriótica dos brasileiros sinceros.
A solução seria ninguém mais pagar impostos; o que é muito difícil de acontecer, pois isso exige uma consciência política que não temos.
Só vão largar as tetas debaixo de pau. Dir-se-á que esta via não é legal. Pergunta-se: saquiar os cofres da nação é legal? quebrar a principal empresa nacional é legal, constitucipnal e democrático?
Quem trabalha, produz e tem noção mínima de ética na vida pública não apoia essa corja.
Esse desgoverno hoje só tem o apoio da legião improdutiva dos clientes de suas esmolas institucionalizadas.
O momento nacional é grave. O que vem por aí eu não sei. Só sei que, por pior que seja, não será tão ruim quanto o que se tem hoje. O lulo-petismo é uma página negra que precisa ser varrida da vida nacional.