quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Ptralhas em ação! votem e ajudará a afundar cada vez mais o Estado do RN

Enquanto José Agripino está calado, o líder do DEM quer que TSE rejeite as candidaturas de envolvidos no esquema

A delação premiada do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, atingiram não só o Governo Federal e a candidatura a reeleição de Dilma Rousseff (PT), mas também os presidentes do Congresso, Renan Calheiros, do Senado, e Henrique Eduardo Alves, da Câmara Federal. Tanto é que senadores e deputados já pedem a apuração o mais rápido possível dos envolvidos e a cassação de quem tiver mesmo recebido propina da direção da Petrobras.

Além da apuração no Congresso, o caso também deverá ter manifestação da Justiça Eleitoral. Pelo menos, é o que pede o líder do DEM na Câmara Federal, o deputado Mendonça Filho, de Pernambuco. Segundo ele, é “fundamental acompanhar de perto o tema no Supremo Tribunal Federal (STF)” e o que fará o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), “já que boa parte dos delatados são candidatos nas eleições de outubro”.

Na reportagem publicada no jornal Estadão sobre a declaração de Mendonça Filho, inclusive, é citada a situação do presidente da Câmara Federal, Henrique Eduardo Alves, que é candidato ao Governo do Rio Grande do Norte. “O eleitor merece uma resposta rápida para evitar que candidatos sejam eleitos e impugnados posteriormente”, disse Mendonça. Vale lembrar que, no RN, o DEM do senador José Agripino Maia apoia, justamente, a candidatura de Henrique.

Fonte: Blog do Primo